Dá para abrir uma empresa com pouco dinheiro? A gente responde



Desde o início da pandemia, muitos brasileiros mudaram de ramo e abriram o próprio negócio. Alguns por necessidade, outros por perceberem uma oportunidade para colocar em prática algo que já era um projeto. Segundo o Ministério da Economia, a abertura de empresas vem crescendo nos últimos anos e, entre maio e agosto, o Brasil registrou um recorde de abertura de novos negócios: 1,4 milhão.


Os dados referem-se à criação de CNPJs e a atividade econômica com maior número de novas empresas foi a de comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios. Promoção de vendas, cabeleireiros, manicure e pedicure, e obras de alvenaria também tiveram destaque.


O que essas empresas têm em comum? Muitas delas são constituídas por pessoas que resolveram empreender com investimento relativamente baixo. De acordo com o próprio governo, a abertura de novas empresas é reflexo de iniciativas que melhoram o processo de registro e legalização, o que desburocratiza diversas atividades de baixo risco e simplifica a abertura e funcionamento de empresas.


Dá para começar com pouco dinheiro?

Boas ideias nem sempre precisam de muito capital para começar a funcionar. A pandemia evidenciou iniciativas que utilizam as ferramentas de tecnologia para oferecer produtos e serviços essenciais para as pessoas.


É claro que manter um e-commerce exige investimentos, uma equipe especializada, suporte de TI e infraestrutura de logística. Mas neste segmento também há espaço para pequenos empreendedores e muitos negócios atingiram o público a partir de um celular e uma boa conexão de internet. Qualquer pessoa pode criar um perfil em rede social e divulgar um produto ou serviço e, aos poucos, estruturar um comércio on-line de acordo com a demanda.


Ou seja, se você está pensando em começar um negócio, mas sempre adia a abertura de uma empresa, o primeiro passo é saber exatamente quanto dinheiro tem para ser investido. Depois, é preciso criar um plano de negócios para estruturar a empresa: o que é, o que faz, como faz, quais serão os custos, quem são os concorrentes e quem são os potenciais clientes. Com essas duas questões definidas é possível identificar se a ideia é viável e quais serão as próximas etapas para colocá-la em prática.


Soluções tecnológicas para novos negócios

A tecnologia dispõe de recursos que contribuem desde o planejamento das atividades até a operação do negócio. Assim, ainda é possível reduzir custos operacionais e investir melhor em qualidade de produto ou de serviço. Listamos algumas ferramentas importantes para quem está começando uma empresa:


- Plano de mobilidade empresarial: mais economia com internet móvel, banda larga com ultravelocidade e ligações ilimitadas, entre outros benefícios exclusivos. Assim você garante presença digital e comunicação efetiva com os consumidores e fornecedores.


- Aluguel de equipamentos: sua empresa precisa de computadores, impressoras e outros equipamentos, mas o orçamento é limitado? Essa é a melhor forma de contar com equipamentos modernos e atualizados, sem precisar investir muito.


- Armazenamento em nuvem: você precisa de um ambiente seguro e que comporte todas as informações e aplicativos importantes para o funcionamento do seu negócio. O custo-benefício da nuvem é muito atrativo e há uma série de serviços que podem ser contratados e substituir softwares ou plataformas.


A Lifecom, parceiro Vivo Empresas, oferece soluções completas de tecnologia para quem está planejando ou recém abriu o próprio negócio. Converse com um de nossos consultores e conheça os recursos que podem otimizar o orçamento da sua empresa e impulsionar as vendas.